25/08/2016

Fogo Sentido

FOGO SENTIDO

Quero deitar roupa velha no fogo
Ver aquelas chamas transfiguradas,
Incandescentes brasas acossadas,
Estranhas sombras com quem dialogo…

Quero lançar as cinzas fumegadas
Às imponentes estrelas, a quem rogo
Ardentes respostas, quando interrogo
Sobre a paz e vidas iluminadas.

Sem distorção da minha identidade…
Como projeção de mero holograma,
Surge em mim, imagem da fé de um povo.

Num sentido retorno à claridade
Tal como bálsamo que se derrama…
Vejo emergir do velho, um homem novo.


© Jorge Nuno (2016)