20/12/2012

Semente do Saber



SEMENTE DO SABER

Assolado por desconforto,
De tormentos construído,
Se sinto opressão no fazer
E necessidade de crescer,
Com a semente do saber
Afasto-me da inação,
Imprimo à atitude, firmeza,
E vou além da incerteza.

Regulo o despertador interno,
Oriento a bússola
Das sensações íntimas
E, com a liberdade do ser,
Sem enfoque no ter,
Espero da mente, lucidez,
E com a devida temperança
Promovo a mudança.

Vivencio, então, com prazer,
A minha zona de conforto,
Ao ver surgir do nevoeiro,
De retorno a bom porto,
Em novo ciclo prazenteiro
A ansiada alegria de viver.

© Jorge Nuno (2012)