13/01/2013

Contentamento


CONTENTAMENTO

Ontem,
Com tanta inquietude,
A mente quis outros caminhos
E eu, desajeitado,
De cabeça desfeita,
Arrastei o corpo com ela
No desespero da busca,
Como que à procura
Do pote de ouro
No fim do arco-íris.

Hoje,
Sinto contentamento,
Com mente e corpo juntos,
Por fazer o que quero fazer,
Sem procurar refúgio seguro,
Por abençoado que sou
Ao escutar o coração,
Os sussurros do divino,
E em deleite interior
Ter encontrado o caminho.

© Jorge Nuno (2012)