19/06/2013

Papel de Espelho (Ou Quem Engana Quem?)



“A ilusão é mais sedutora que a verdade”

Tristão de Ataíde (Alceu Amoroso Lima) (1893-1983)

Crítico literário, professor e escritor brasileiro



PAPEL DE ESPELHO

(OU QUEM ENGANA QUEM?)



Mais do que a influência

Nas soluções criadas

Pelas capacidades da razão,

O insuspeito intelecto

Analisa sentimentos

E faz o papel de espelho

Que reflete a verdade

E projeta ilusão.

Atiçado de curiosidade

No que toca à minha vida

Observo, com vivacidade,

Tanto o que faz papel sedutor

Como o espelho dos tormentos.

Sem uma razão aparente,

Posso, supostamente,

Sentir-me confortável,

Abafando a dor,

Iludido com o véu enganador.

Como posso, constantemente,

Estar de acordo com a verdade

E, numa estranha ironia,

Sentir-me desconfortável

Com o efeito devastador

Provocado na minha mente.

Está a chegar a hora

Em que mais não viverei

Sob a mentira vital.

Quero mesmo viver agora,

Encarar a dor que evitei

Envolto na verdade real.



Fez, 10 de junho de 2013

© Jorge Nuno