25/07/2013

Ondas de Aceitação no Mar do Inconformismo



“Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado...

Resignação para aceitar o que não pode ser mudado...

E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.”



Oração atribuída a São Francisco de Assis [Giovanni di Pietro di Bernardoni] (1182-1226)

Italiano, fundador da ordem mendicante dos Frades Menores (franciscanos).





ONDAS DE ACEITAÇÃO NO MAR DO INCONFORMISMO



Sempre houve recuos e avanços,

Silêncios e estridentes gritos audíveis,

Desleixo, aceitação e resistência,

Vis predadores e cordeiros mansos,

Agiotas, corruptores e corruptíveis,

A cunha e quem move influência,

Traidores, abusadores e abusados,

Insensatez, estupidez, inteligência,

Feira de vaidades, com pavões dourados.



Sempre houve delinquentes intocáveis,

Mestres e doutorados em incompetência,

Quem não abdique de viver com ganância,

Falta de carácter nas decisões irrevogáveis,

Promoção de injustiças, atos imorais,

Governantes fora da lei em acção,

Assim como os seus compadres notáveis,

Quem prefira viver na ignorância

Nem se importe com usura ou fuga de capitais.



Sempre houve inquietação e inquietados

E para cada acção uma reação,

Uns a viver bem, outros… mal de mais.

Perante atos feios de humilhação,

Vítima de estupro na condição humana,

Ajo extremamente preocupado

Ao ver tanto acomodado e mente insana.

Não capitulo, vergado, resignado,

Nem me entrego ao status quo, isso não!



Na ânsia de tanto querer lutar

Vejo o pêndulo da emoção descontrolado

E a proximidade do abismo.

Alinho a ação no compasso do tempo,

Acerto o ritmo no fluxo da vida,

Relaxo de toda a inquietação

E, por momentos, após serenar,

Consciente do que não posso alterar,

Visualizo uma ilha perdida

Nos confins do mar do inconformismo

E vejo-me a surfar nas ondas da aceitação

De aquilo que posso e quero mudar.



© Jorge Nuno (2013)