12/01/2014

Nas Teias que a Vida Tece



A alegria é uma coisa muito séria.



Almada Negreiros [José Sobral de Almada Negreiros] (1893 – 1970)

Figura central no movimento da geração de modernistas portugueses e um dos grandes dinamizadores da Revista Orpheu. Como autodidata, “português sem mestre”, esteve presente em várias áreas e meios de expressão, como: desenho, pintura, ensaio, romance, poesia e dramaturgia.





NAS TEIAS QUE A VIDA TECE



Nas teias que a Vida tece

Com seda fraca e incolor,

Até o forte enfraquece

Aprisionado na dor.



Teias que alma engrandece,

Sem um Deus castigador,

E fé que nos fortalece

Enfatizada no amor.



Quero da vida o que é bom,

Alegria de viver

Sem que isso seja um dom.



Nunca é tarde p’ra aprender,

Afinar num outro tom,

Para deixar de sofrer.



© Jorge Nuno (2014)