07/05/2012

Soneto sobre "O Mundo Que Me Rodeia"

SONETO SOBRE “O MUNDO QUE ME RODEIA”


Mil anos de História, ai Portugal…
De honra, glória, gente firme no leme,
Gente valente, sã, que nada teme,
Capitula, adormecida, ao Governo e Capital.

Erro nosso p´lo voto útil, incerto?
Porque tem Democracia tais falhas?
Crê-se em homens, que viram canalhas,
E nos levam ao precipício perto!

Contra taxas, impostos… mais que o previsto,
Cortes, desemprego, privatizações…
Luto com a caneta, outra coisa nem me atrevo.

Não sei onde vai parar tudo isto,
Ao bando, com revolta, cito Camões:
“Que quanto mais vos pago, mais vos devo”!

Almada, Dezembro de 2011
Jorge Nuno