19/06/2012

Ai...



                                                      AI…

Ai… se El-Rei D. Dinis tivesse gira-discos!…
Passava a todo instante a sua poesia trovadoresca.
- Seu grande sucesso na altura -
No único vinil riscado…
 “Ai, Deus, e u é?”... “Ai, Deus, e u é?”... “Ai, Deus, e u é?”...

Ai… se o Camões tivesse telemóvel…
Passava o dia a falar, em tarifário TAG,
Com a casada e adorada Violante,
Com a idílica Dinamene,
Com um vasto rol de damas da corte e plebeias
E até com as suas Tágides e Nereidas,
Não tendo tempo para escrever “Os Lusíadas”…
Para regalo dos estudantes!

Ai… se o Bocage tivesse webcam!…
Passava o dia a observar as damas da corte,
Em poses íntimas, em jardins palacianos.
Não lhe faltariam argumentos…
Mas ficaria sem tempo para versejar,
Coisas sérias ou brejeiras!

Ai… se o Drummond tivesse iPad!…
Seria um relâmpago a divulgar “A Revista”,
O “Manifesto da Poesia Pau-Brasil”
E o “Movimento Modernista”!
Virava as costas aos jesuítas,
Era mais cedo cidadão do mundo,
E ficava logo com as obras pirateadas!

Ai… se o Pessoa tivesse Facebook!...
Fazia logo convite aos heterónimos,
Punha em rede, a comunicar em chat,
O Alberto Caeiro, o Ricardo Reis e o Álvaro de Campos,
E o ortónimo Pessoa ia para os copos, na Brasileira!

Ai… se o Mário Viegas tivesse videojogos!...
Não jogava tão bem com as palavras,
Já não se lhe ouvia a “Cantiga dos Ais”…
Tão bem escrita por Armindo Mendes de Carvalho:
“(…) Ai os ais de tanta gente…
Ai que já é dia oito
Ai o que vai ser de nós”!

Ai… se o Saramago tivesse megafone!...
Nem esperava, viria mesmo agora do além!
Invadiria as Rádios, TV´s, Tablets e PC’s…
E das grandes avenidas ao interior do país,
Berraria bem alto, para finalmente acordar…
E desassossegar o povo!

Ai… se eu tivesse Karaoke!...
Depois de cantar mais de uma dúzia de vezes,
Mesmo com voz desafinada…
“Delícia, delícia
Assim você me mata
Ai se eu te pego, ai se eu te pego”
Mas com animação tremenda,
Passaria o resto da vida
A escrever exclusivamente poesia alegre!
Por isso é que eu não tenho sistema de karaoke!

            Bragança, 19 de junho de 2012
                        Jorge Nuno