14/07/2012

A Margem do (Des)Equilíbrio


Foto: Extraída de http://www.123rf.com/photo_5586373_a-large-group-of-red-convertible-toy-cars-going-in-one-direction-with-a-single-car-going-in-the-oppo.html



A MARGEM DO (DES)EQUILÍBRIO

Baloiço-me no romantismo emotivo
E crio impulso para chegar
À outra margem – a do equilíbrio –
Sabendo que é ousadia arriscar,
Como é ousadia continuar
Neste desequilibrado mundo.

Mas como qualquer criativo,
Hei de chegar à outra margem,
Nem que tenha que abdicar
Do romantismo emotivo…
E já ciente do meu corpo e sentidos,
Hei de encontrar solução
Para me equilibrar e manter equilibrado
Neste desequilibrado mundo.

E quando já estiver equilibrado…
Pela adrenalina em aceleração,
De vidros abertos e olhos fechados,
Com alta música a tocar,
Carregando prego a fundo…
Será um louco prazer viajar
Na autoestrada dos desequilibrados,
Com a pura e estranha sensação
De ser diferente neste estranho mundo
E movimentar-me em contramão!

Almada, 14 de julho de 2012
            Jorge Nuno

Poema declamado por Joaquim Sustelo, na Rádio Horizontes da Poesia, mais tarde convertido em vídeo por Cida Vasconcellos. 
Poema publicado no livro "Horizontes da Poesia IV", Coletânea 2012, edição de Joaquim Sustelo. ISBN: 978-989-95626-8-4